Peregrinos da América do Sul são maioria na JMJ 2019

Português na JMJ
janeiro 19, 2019
Intercâmbio cultural marca experiência de Peregrinos nos Dias nas Dioceses em Costa Rica
janeiro 21, 2019

Peregrinos da América do Sul são maioria na JMJ 2019

Dom José Domingo Ulloa, Arcebispo da Cidade do Panamá, fez uma avaliação do que até agora tem se vivido na JMJ

Maior quantidade de peregrinos e voluntários da JMJ 2019 é proveniente da América do Sul



Em coletiva de imprensa por Autoridades Civis panamenhas em conjunto com o Comitê Organizador Local (COL) divulgou-se os números oficiais até o presente momento da Jornada Mundial da Juventude 2019. A América do Sul está em primeiro lugar com 8.624, sendo o maior número de peregrinos e voluntários, estando em segunda posição a Europa com 6.421. No total, desde 9 de janeiro, 27.037 pessoas entre peregrinos, voluntários e turistas entraram no Panamá. Brasil e Colômbia são alguns dos países com mais entrada, junto a Polônia, Estados Unidos, México e Guatemala.

Durante a Pré-Jornada os eventos foram realizados em ordem completa, sem problemas graves, conforme dito pelo Comissário Marcos Rueda, Coordenador do Eixo de Emergência – DEA pelo Governo Federal. No total participaram 14.292 peregrinos nestes Dias nas Dioceses em Panamá.

Dom José Domingo Ulloa, Arcebispo da Cidade do Panamá, fez uma avaliação do que até agora tem acontecido nestes dias que antecedem a JMJ. "Vejo de forma muito positiva o que se está vivendo e experimentando nos eventos de Pré-Jornada. O efeito pastoral na Diocese de Colón foi maravilhoso. Pelos meios de comunicação, muitas vezes não se transmite verdadeiramente o que é Colón, mas com a acolhida do povo daquele lugar em relação aos missionários-peregrinos, nós vimos a beleza que há naquela localidade˜, destacou. Além disso, o Arcebispo enfatizou outros momentos com fortes resultados pastorais, como o Encontro Mundial da Juventude Indígena, em Soloy, comarca de Ngäbe-Bugle, que trata sobre a temática da exclusão e questões de dignidade; o Congresso Ecológico, incentivando para que os jovens sejam os responsáveis sobre a nossa Casa Comum e tratando da necessidade de políticas públicas para cuidar do Ecossistema e o Congresso de Jovens Afro que toca a realidade da discriminação racial. “Estas são temas que a sociedade e a Igreja não podem esquecer de pensar e agir˜, concluiu em sua fala.

Víctor Chang, Secretário Executivo do Comitê Organizador Local, aproveitou a oportunidade para convidar todos os panamenhos, peregrinos e estrangeiros que estão no Panamá para a Missa de Abertura da JMJ que será na terça-feira, 22 de janeiro, seguida de um Concerto Musical pela paz.