-15

– 14
janeiro 7, 2019
-16
janeiro 5, 2019
Somos Fabíola e Gustavo, brasileiros, casados, temos 32 anos, e de dezembro de 2018 a fevereiro de 2019 o Panamá será nossa casa. Após viver a emoção de trabalhar dentro da organização da JMJ Rio 2013 e Cracóvia 2016, nos lançamos uma terceira vez como voluntários de longo prazo na JMJ Panamá 2019. Gustavo teve a oportunidade de participar de um concurso lançado em 2011 para escolha do logo oficial da JMJ Rio 2013, e teve a grande alegria de ter seu trabalho escolhido. O Comitê Organizador Local o convidou para trabalhar na equipe de comunicação, como coordenador da equipe de Design. Foi um grande desafio e uma grande experiência, como profissional, como cristão e como pessoa.
Nos conhecemos em 2012, durante a preparação para a JMJ Rio2013. Eu, Fabíola, morava no sul do Brasil, em Florianópolis, Santa Catarina, ajudando a Igreja local no apostolado com os jovens e na comunicação. O Gustavo também, mas na realidade local dele, no interior do Estado do Rio de Janeiro. A vida pastoral acabou por nos aproximar e a preparação para a JMJ também, mesmo com a distância entre as nossas cidades. E esse aproximação tornou-se amor e lançou as bases do nosso namoro. O Gustavo já trabalhava no Comitê Organizador Local quando eu decidi me tornar uma voluntária no Rio; decisão que fiz questão de tomar com o apoio e discernimento do meu bispo diocesano. Então vivemos intensamente a preparação da JMJ enquanto vivíamos também os primeiros caminhos da nossa história como casal. Foi emocionante. Após a JMJ 2013 o namoro continuou e se tornou um noivado fecundo.
Em 2015, ainda no noivado, tivemos que tomar a importante decisão de sermos voluntários internacionais na JMJ Cracóvia 2016. Nos casamos em 22 de agosto, dia de Nossa Senhora Rainha, e chegamos na Polônia exatamente um mês depois. Casamos sem montar casa, como faria um casal convencional, para viajar e se lançar nessa missão. Confiantes da providência de Deus, entregamos o nosso primeiro ano como casados à servir na Igreja mais uma vez, também colaborando com a comunicação da JMJ. Eu sou jornalista e tive a alegria de liderar o “Minuto JMJ”, além de ser uma das apresentadoras de língua portuguesa. Gustavo foi convidado a coordenar as equipe de redes sociais internacional.
Três semanas depois de chegar em Cracóvia, fomos a Roma para participar da Audiência Geral como ""sposi novelli"" (recém-casados) e foi uma experiência maravilhosa. Levamos a bandeira da JMJ 2016 conosco e, após eu pedir ao Santo Padre um abraço, falei da nossa condição como família missionária que saiu do Brasil para ser voluntária na JMJ em Cracóvia. Ele ficou muito feliz e nos respondeu: ""Então nos vemos em Cracóvia!"". Foi realmente emocionante. A Igreja tem falado tanto da importância da família e como ela pode ser um caminho palpável de santidade, com o Sínodo, com a canonização dos pais de Santa Teresa de Lisieux, nas catequeses do Papa Francisco... e nós nos tornamos família em meio a tudo isso.
Agora com 3 anos de casados, mais uma vez estamos nessa intensa experiência chamada Jornada Mundial da Juventude. Ter feito tudo isso, vir para a terceira Jornada, foi com toda certeza, contar com a providência de Deus acontecendo em cada pequeno esforço em nossas vidas.
Nossa vida juntos, desde que nos conhecemos, passa pela Igreja, pelo Papa, pela JMJ, pela misericórdia e pela vontade de ser uma família santa. A todo momento vemos em nosso redor a providência de Deus e Seu amor profundo por nós.

Fabiola Goulard, Brasil.